Carta aos pais dos estudantes de pré vestibular

O texto a seguir foi produzido pela psicóloga Lara Rocha para as reuniões de pais no Zênite Pré-Vestibular e Cursos (@mundo_zenite).
Perguntaram aos estudantes: “Se a gente tivesse uma reunião com seus pais/familiares, o que vocês sugeririam para conversarmos sobre o fato de vocês serem pré-vestibulandos?”.
Assim surgiu esta carta.

Pais,
A gente queria que vocês soubessem o que passa na nossa cabeça. E a gente sabe que “às vezes é difícil mesmo entender o que a gente fala” e que, às vezes, quando “vem falar algo é pra discutir”; soa como “aquela coisa, “santo de casa não faz milagres””. Então o Zênite vem tentar mediar essa conversa: “Se eles soubessem como é difícil” …
“Não é tão fácil como vocês pensam”. “Apesar de nossa luta ser pequena, comparada àquela que vocês viveram, passar em uma Universidade pública hoje também é difícil, exige muito sacrifício e nós, mais que vocês, queremos a aprovação”. Ou vocês acham mesmo que queríamos estar aqui? “O sistema infelizmente não aceita todo mundo”. “Não temos culpa pela forma de seleção utilizada”. “Cuidado com a pressão”, “isso não é incentivo, na verdade, atrapalha”.
“Alguns cursos são muito concorridos e talvez a gente não consiga de primeira”. Sabe aquela pergunta, quando a gente queria ser igual aos amigos, que vocês sempre faziam: “quer dizer que se seu amigo se jogar, você também se joga?”; pois é, a gente aprendeu direitinho, não somos igual a ninguém; “cada um tem seu tempo”. “Fazer 2 anos de cursinho não é porque não estamos estudando ou porque não nos dedicamos, mas sim pelo fato de cada um ter seu tempo de amadurecimento físico e intelectual”.
Vocês sempre nos ensinaram isso, então “não nos compare”. “Passar NUNCA envolve sorte. Não existe gente que não estuda e passa. Até porque além de interpretação, envolve conteúdo e estabilidade emocional. Dizer que conhece fulano que nunca estudou na vida inteira e passou, além de ser uma mentira, nos faz duvidar de nossa própria capacidade. Não se diz isso a alguém que se esforça tanto”. “Parem de nos comparar”.
“Estudar ou não, não é o único quesito para conseguir uma vaga em um curso tão concorrido, como medicina”. “Passar em vestibular concorrido é um projeto que, na maioria das vezes, exige um certo tempo”. “Sejam compreensivos, é um momento delicado e que abala demais o psicológico”. “Sempre pensamos: a gente não vai conseguir; o que estamos fazendo aqui? Isso tudo é impossível”. “Às vezes eu acho que vou pocar de cansaço e o mundo no meu pé de ouvido reclamando… E lembrando que eu ainda não passei”. “Por que não entendem que eu preciso de mais tempo pra estudar? E não é mais tempo no dia, é mais tempo de Vida”.
“Tudo vai muito além do vestibular. Pois na vida a gente cresce e se depara com coisas que nos confortam e/ou nos balançam. Tudo isso, somado às questões familiares e outras em geral pesam no foco e nos estudos”. “Desculpem pelos gastos excessivos com a educação”. “Obrigada por me darem oportunidade”. “Por nos darem o que vocês não puderam ter na época de vocês”. “E se às vezes parecer que eu não reconheço todo o esforço para que as coisas aconteçam na minha vida… É porque nem sempre é de boas expressar meus sentimentos”. Mas somos gratos, só que “às vezes a gente não se expressa bem”.
“Que vocês entendam nossa ausência por causa dos estudos”. “Eu ia amar se vocês entendessem que às vezes a gente tem que ficar trancado estudando, e que fim de semana tem aula; mas o que a gente queria mesmo era ir pra nossa cidade”. “Nós amamos vocês e precisamos dessa apoio nesse momento tão difícil”.
É pais, “estamos decidindo algo para nossas vidas” e “amadurecer dói”. “Tenham paciência” já estamos agoniados demais. E a gente promete entender que vocês não só custeiam nossos estudos, mas sentem junto cada reprovação, cada lista de espera. Sabemos que vocês estão conosco. Vocês, às vezes, parecem até que vivem por nós… Então, por favor, “controlem a ansiedade, que às vezes é maior que a nossa e isso irrita muito”. “Procurem nos entender mais. E confiem em nós. Quando dizemos que estamos estudando, realmente estamos”.

*Usamos exatamente as palavras ditas por eles. Para sermos fiéis à expressão de cada um.

Lara Rocha Andrade
CRP 03/11868
(77) 99209-9849
lararochapsi@gmail.com
@psilararochas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s