Vínculos familiares: A relação entre pais/cuidadores e filhos

familia de bike

A família é o primeiro e o mais importante contexto social para o desenvolvimento humano. Os pais/cuidadores são os principais mediadores entre a criança e mundo (Gomide,2004), servindo como figuras de referência especiais . As relações familiares influenciam em grande parte a saúde mental das crianças (Coelho e Murta,2007). Pela própria convivência, os filhos absorvem o comportamento dos pais. É  o “como-somos” que se transmite sem “ intenção educacional”. Ao observar a cena, a criança aprende e repete o modelo aprendido com os pais, desta forma os modelos das relações familiares são passados direta e indiretamente aos filhos.

familia escovando

Como fatores importantes para o desenvolvimento saudável da criança e do adolescente têm: a valorização de responsabilidades gradativas, o diálogo, mostrar-se carinhoso e compreensivo, estabelecer regras e zelar para que elas sejam cumpridas, estabelecer limites/responsabilidades. O limite na infância tem função importante na constituição psíquica do sujeito (Brazelton e Greenspan,2006) e está relacionado a capacidade empática, obediência a regras morais e sociais, capacidade de atrasar gratificações, de lidar com a frustração e de autorregulação do comportamento.

Quanto de limite faz bem para criança/adolescente? O Limite deve ser claro e relativamente estável. A falta de clareza no limite está vinculada a uma menor obediência (Kalb e Loeber,2003), sendo importante explicar para a criança o porquê do limite. Ao explicar o limite, fazê-lo de forma séria, direta e com a atenção da criança. A transgressão do limite deve ter consequências conforme a gravidade da transgressão. A Excessiva permissividade podem causar problemas de conduta e disciplina, baixa tolerância à frustração, formação de crenças de superioridade e competitividade extrema. E os excessivos limites podem gerar aumento dos níveis de ansiedade e menor capacidade de lidar com situações difíceis e transgressões.

familia tocando panela

Em relação ao apego e o vínculo, esses são de extrema importância para o desenvolvimento saudável do indivíduo. Os laços criados entre a criança e cuidador geram um vínculo afetivo e produzem um relacionamento emocional e psicológico relativamente duradouro no qual o outro é considerado importante. No apego há uma sensação que resulta em conforto e segurança ou, no caso de apegos problemáticos, a falta dessa sensação.

REFERENCIA

  • Caminha,M.G, Caminha,R.M (2011). Intervenção e treinamento de pais na Clínica Infantil.Porto Alegre,Sinopsys Editora.
  • Cartaxo,V (2015). Diário terapêutico para pais. Infantil.Porto Alegre,Sinopsys Editora.
  • Gomide,P.I.C (2002). Como evitar o desenvolvimento de comportamento anti-social em seu filho.In:M.Z.S.Brandão,F.C.S.Conte & S.M.B.Mezzabora,Comportamento Humano: tudo (ou quase tudo)que você gostaria de saber para viver melhor(pp.129-138).Santo André.
  • Tiba,Içami (1996).Disciplina,limite na medida certa.São Paulo: Editora Gente.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s